Promova o seu negócio com ajuda do celular

Conheça as formas de utilizar o celular para fazer negócio:

Adaptação de site

À semelhança de um site comum, os sites mobiles têm a facilidade de serem acessíveis durante a navegação na internet e são multiplataforma. A versão do site ou da loja virtual para celular deve ser o mais enxuta possível. O ideal é que tenha botões grandes e ícones que facilitem a navegação, como o “click to call”, que faz ligação telefônica ao ser acionado. Também deve ter menos imagens e conteúdo para carregar mais rapidamente. Há serviços que convertem o site da empresa em versão móvel, como o Mobify, o Wirenode e o Onbile. Em geral, a construção de um site mobile pode elevar em 30% o custo de um projeto tradicional.

Publicidade online

Os negócios podem fazer anúncios em sites de busca. Ferramentas como o Google AdWords conectam automaticamente produtos ou serviços com as buscas feitas pela Internet. Com isso, se um cliente buscar, no celular, algum produto ou serviço vinculado ao seu segmento e localidade, o seu anúncio aparecerá no resultado da busca. Quando os consumidores buscam produtos e serviços no celular, eles querem obter a informação ou comprar ou ser atendidos imediatamente, por isso, esses anúncios têm que ser do tipo “ligue agora” ou “agende agora”.

Aplicativos de mapas

Existem centenas de aplicativos especializados em georreferenciamento para localizar boas oportunidades, como o Foursquare, o Mobile Site for Restaurants e o Google Maps. Neste aplicativos, o consumidor descobre os negócios que há na região que se encontra e também confere avaliações sobre o empreendimento dadas por clientes. As empresas podem se cadastrar nesses apps, e a vantagens é fornecer informações importantes, como tipo de produto/serviço, faixa de preço, horário de atendimento e foto do estabelecimento.

SMS

O envio de mensagens de texto para clientes ou possíveis clientes tem de ser criterioso. Existe uma rejeição natural das pessoas quando recebem mensagens indesejadas. A base de dados para envio tem de ser muito segmentada e o ideal é que o envio de SMS seja previamente autorizado pelo consumidor.

Redes sociais

Também é possível usar as redes sociais para ações de marketing pelo celular. A sua empresa deve selecionar as redes nas quais há uma concentração de pessoas com o perfil do público-alvo e se cadastrar. A partir daí, deve produzir conteúdos que tenham a ver com o produto/serviço e sejam de interesse destes potenciais clientes. Outra opção é investir nos links patrocinados, por meio do qual a rede social vai mapear os usuários que têm interesse no produto/serviço e destacar o anúncio para estas pessoas.

Aplicativos

Os aplicativos são mais recomendáveis, porque são feitos especialmente para celulares e por isso aproveitam melhor os recursos e formatos dos aparelhos. Toda a empresa pode criar ou encomendar a criação de um aplicativo para ser usado em smartphones. Mas para que ele tenha sucesso, o ideal é que seja útil, isto é, resolva um problema concreto. Ferramentas de georreferenciamento embutidas também ajudam o consumidor e a empresa a se conectarem mais facilmente. Os aplicativos são feitos especialmente para um determinado sistema operacional (Ex.: Android, iOS e Windows Mobile). Isso cria um complicador: um aplicativo para iOS não serve para Android. Além disso, os usuários só baixam e instalam aplicativos que lhes interessam, por isso, é necessário que seja útil para o cliente ou público-alvo.

Bluetooth

A comunicação entre celulares pelo Bluetooth é algo muito segmentado porque nem todas as pessoas usam esse sistema e seu alcance costuma ser de cerca de 10 metros. Esse tipo de ação de marketing pode ser feito por promotores de vendas em lojas ou em eventos para comunicar mensagens rápidas. 8) Torpedo de voz – O torpedo de voz deve seguir as mesmas regras do SMS: ser muito bem segmentado e enviado apenas para quem realmente deseja aquela informação. As mensagens devem ser curtas e objetivas.

O Portal dos Aplicativos está pronto para lhe ajudar a criar um Aplicativo Móvel, excelente plataforma para fidelização de clientes, adequado para as necessidades específicas da sua Empresa. Fale Conosco.

Fonte: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/promova-o-seu-negocio-com-ajuda-do-celular,726902b5b0d36410VgnVCM1000003b74010aRCRD

 

Fidelização de clientes: 5 dicas essenciais para encantar o comprador

Manter o cliente pode ser mais importante do que conquistar um novo

Se tivéssemos que eleger a maior riqueza dentro de uma empresa, independentemente de seu porte ou segmento, não pensaríamos duas vezes: o cliente fiel. Segundo Steve Denning, autor de The Secret Language of Leadership, empresas que mantêm o foco na fidelização de clientes, ou no que ele denomina “encantamento de clientes”, garantem um exército de porta-vozes para sua marca. Esses clientes, com seu potencial de engajamento, funcionam como um núcleo de atração para novos compradores, e disseminam a boa imagem da marca.

Mais que isso, estima-se que manter um cliente fiel pode ser até cinco vezes mais barato que conquistar um novo, sendo que eles chegam a responder por até 65% de todas as vendas de uma empresa. Mas, afinal, como fidelizar clientes? Entenda neste post por que é tão importante investir na fidelização de clientes e confira como fazer isso com cinco dicas essenciais para encantar o comprador.

Satisfação versus fidelização:

Ok, sua empresa oferece os melhores produtos e serviços e, por isso, está sempre atraindo novos olhares. Mas saiba que isso não é suficiente. Em um mercado cada vez mais concorrido, não há produto ou serviço bom o bastante que não possa ser copiado e ou melhorado. Mais do que qualidade na entrega, para fidelizar clientes é preciso ultrapassar os limites da satisfação pessoal do comprador.

Se, por um lado, um bom produto ou serviço abre portas, atrai o interesse e te coloca na briga de mercado, por outro, ele não é o suficiente para garantir que aquele cliente jamais ceda às tentações da concorrência. Este “encantamento” é um trabalho de médio a longo prazo e que inclui, além da qualidade do que se oferece, uma estratégia capaz de construir um vínculo afetivo entre a marca e o cliente. Veja a seguir 5 dicas para a fidelização de clientes:

1. Atenda o cliente como ele gostaria de ser atendido

Comece encarando o atendimento como um diferencial. Ele é, talvez, o diferencial menos perene dentro de uma empresa, já que “quase” todo o resto pode ser reproduzido pela concorrência. Assim, ter — e manter — um bom atendimento é o primeiro passo para encantar clientes.

Mas, afinal, o que é um bom atendimento? Para Steve Denning, o atendimento diferenciado começa quando a equipe de vendas é treinada para atender o cliente como ELE gostaria de ser atendido. Uma boa equipe de vendas não insiste no atendimento (ou produto/serviço) que acha que é o melhor para o cliente. Ela capta os sinais dados pelo futuro comprador e embarca nas suas preferências e necessidades. Até mesmo o tipo de abordagem (mais ou menos agressiva), é definida de acordo com as respostas do cliente. Para isso, além de muita sensibilidade, o vendedor precisa saber calar seus pensamentos, ouvir e se colocar no lugar de quem está comprando.

2. Direcione o foco para o cliente certo

Antes de gastar suas energias tentando abraçar o mundo, saiba que para fidelizar clientes é preciso manter o foco no público certo. Somente direcionando as ações estratégicas de sua empresa para as pessoas certas será possível garantir um atendimento de qualidade.

Quem são seus clientes em potencial? Onde eles estão? O que eles estão buscando? O que eles esperam dos seus produtos ou serviços? Saber responder a essas perguntas é fundamental para direcionar sua estratégia de negócio (e de marketing) para o público certo e garantir a fidelização de clientes. Não adianta pensar que é possível oferecer a todos os nichos o melhor atendimento do mercado. Não há produto ou serviço que agrade a todos.

3. Fidelize clientes com a teoria da pirâmide invertida

Na teoria da pirâmide invertida, o cliente se encontra no topo, e para ele são destinados os maiores esforços dentro de uma empresa. Abaixo estão os vendedores e todos os que lidam diretamente com o cliente e, por fim, os líderes e gestores, aos quais cabe todo o suporte necessário para sustentação deste sistema.

A imagem descrita mostra o papel dos clientes dentro de uma empresa que visa a fidelização: eles são o motivo que justifica todo o trabalho. Aqui o foco não é o produto, nem os processos internos, mas sim o cliente. Vendedores, líderes e gestores se posicionam como o pivô que sustenta toda a estratégia de atendimento. Isso significa, na prática, uma cultura empresarial do bom atendimento, que além de visar o relacionamento de qualidade com cada cliente, reconhece o valor de ferramentas como SAC, ouvidoria, pesquisa de mercado, segmentação em marketing, entre outros.

4. Para clientes fiéis, dê tratamento VIP

Se os clientes fiéis podem responder por até 65% de todo o faturamento de sua empresa, eles merecem, no mínimo, um tratamento diferenciado. Para isso, invista em ações de relacionamento como newsletters exclusivas, cupons de desconto e vantagens de um clube de fidelidade.

Para esse clientes, vale antecipar lançamentos e ofertas e investir em conteúdo personalizado. Lembre-se de que eles são o maior capital de sua empresa.

5. Monitore, sempre

Toda ação voltada para a fidelização de clientes (seja uma campanha de e-mail marketing, ou o lançamento de um conteúdo exclusivo) pode — e deve! — ser monitorada. Para isso, conte com um bom CRM (Customer Relationship Management) e uma equipe focada em resultados. O monitoramento permite a otimização constante de sua estratégia e, a partir dos resultados de cada investida, você pode reunir cada vez mais informações relevantes sobre seu público-alvo, suas preferências de abordagem e necessidades. Encare esse processo como um ciclo virtuoso: quanto mais você monitora, mais conhece seu público e maior é a sua capacidade de criar estratégias para fidelizar clientes.

Pronto para dar o primeiro passo? Comece treinando sua equipe de vendas para um atendimento de excelência, reforçando junto aos funcionários valores e práticas de como ouvir o cliente para entender como ele deseja ser atendido, qual a abordagem mais eficiente para cada perfil, quem são os clientes foco dentro da empresa e como cativá-los em um processo contínuo que não se encerra na venda. Reforce essa estratégia e veja o processo de fidelização de clientes realmente acontecer!

O Portal dos Aplicativos está pronto para lhe ajudar a criar um Aplicativo Móvel, excelente plataforma para fidelização de clientes, adequado para as necessidades específicas da sua Empresa. Fale Conosco.

Fonte: http://revistapegn.globo.com/Dia-a-dia/noticia/2015/03/fidelizacao-de-clientes-5-dicas-essenciais-para-encantar-o-comprador.html

 

 

Fidelização de Clientes

Fidelização de Clientes é medir, gerenciar e criar valor. É Tornar a fidelização de clientes parte integrante da missão da empresa, integrando sistemas de informação, criando valor superior, ou seja transformando clientes satisfeitos em clientes fiéis.

Medir a fidelização faz-se necessário, como também o impacto dos sistemas de gestão do relacionamento com clientes na fidelização.

É mais fácil e barato manter do que conquistar novos clientes. As empresas brasileiras também têm constatado, na prática, que a manutenção de um público cativo possibilita retorno mais significativo e rápido. Não se trata de abandonar a prospecção de novos negócios, o que é fundamental para qualquer empresa, de qualquer setor, em qualquer mercado, ao contrário, estratégias de fidelização baseadas no planejamento e na criatividade criam benefícios para o público que, além de manter estável a carteira de clientes, proporciona valor agregado às marcas da empresa, tornando-a forte, bem posicionada e ainda mais preparada para a prospecção. Em outras palavras, um cliente satisfeito e fiel traz outro.

Fidelidade significa que estamos dispostos a sacrificar pelo menos por um tempo nossos interesses. Porque o sucesso da relação que se constrói a longo prazo é mais importante que qualquer benefício imediato.

A satisfação está estreitamente ligada a maneira como o consumidor se sente em determinado momento. Medir satisfação é útil, mas não se deve transformar isso na ferramenta central. Muitas vezes, pessoas que disseram estar satisfeitas com um produto, não voltaram a comprar porque acharam o de outra marca mais valioso.

Existem muitas maneiras de conhecer a conduta e as atitudes dos clientes e a internet é uma boa ferramenta, porque facilita o contato direto com os clientes, possibilitando ouvir o que as pessoas falam sobre seus produtos/serviços. Assim, fica-se conhecendo, sem intermediários, a opinião dos consumidores sobre a empresa, seus produtos e serviços.

A freqüência da compra, a média do valor da compra e a participação da compra por categoria são bons indicadores.
Algumas ferramentas de marketing podem ajudar a transformar um comprador freqüente num comprador fiel, mas muitos profissionais se confundem e procuram aliciá-lo: “se meu cliente comprar mais produtos/serviços e gerar mais lucros para a empresa, nós o premiaremos com uma parte desses lucros”. Esses prêmios não são o prato principal, mas o acompanhamento. Consegue-se mais fidelidade quando se oferece mais valor, o melhor produto e o melhor serviço.

O Portal dos Aplicativos está pronto para lhe ajudar a criar um Aplicativo Móvel, excelente plataforma para fidelização de clientes, adequado para as necessidades específicas da sua Empresa. Fale Conosco.

Fonte: http://www.administradores.com.br/artigos/marketing/fidelizacao-de-clientes/20882/

 

Como melhorar a fidelização de clientes no comércio de varejo?

O consumidor dos dias hoje mudou — e, se você ainda não reparou isso, meu amigo empreendedor, você deve estar vivendo em outro planeta!

Antigamente, as pessoas se acostumavam a comprar em uma loja de confiança e até adaptavam suas necessidades ao que aquele empreendimento tinha a oferecer. Atualmente, acontece o contrário: quem não atende ao que o seu público demanda, logo logo perderá seus clientes.

Com a facilidade de conseguir informações na internet e a grande concorrência, conseguir um comprador fiel é algo extremamente difícil, mas também muito desejável. Na minha experiência como empreendedor, fui descobrindo, ao longo dos anos, algumas maneiras de melhorar a fidelização de clientes e garantir um rendimento mais constante no final do mês. Eu separei no texto de hoje algumas das melhores maneiras de fazer isso! Quer descobrir quais são? Vem conferir!

Atenda às expectativas do seu consumidor

O principal foco de qualquer negociação é cliente, afinal é ele quem tem o din-din para fechar negócio com você. Sabendo disso, é hora de fazer o máximo para agradá-lo! Procure atender às suas necessidades, oferecer o que eles esperam, trabalhar com produtos e serviços de alta qualidade, para que eles se tornem verdadeiros fregueses. Agindo dessa maneira, a fidelização será uma consequência!
Melhore a experiência de atendimento

A experiência de atendimento é um fator chave para fidelizar os clientes. Qualquer um espera ser bem atendido e isso faz toda a diferença na hora de um consumidor cogitar voltar ou não a fazer negócio com você.

No meu empreendimento, eu procuro tratar cada um dos meus clientes de forma única e especial — afinal, eles realmente são! Busque treinar seus funcionários para serem eficientes e simpáticos, mostrando plena satisfação em atender os compradores com todo o zelo e cuidado. Cada passo do atendimento pode fazer a diferença: invista nos processos para criar um momento confortável para quem entrar na sua loja.

Construa valor na sua oferta

Não adianta nada ter todas as atitudes certas no tratamento com o consumidor se as suas ofertas não forem boas, né? Então, busque agregar valor a elas! Isso não significa, necessariamente, que você deva jogar o seu preço lá embaixo. O ideal aqui é mostrar que seu produto ou serviço é único: cobre um preço justo, ofereça descontos em compras maiores, distribua brindes, crie combos, ofereça garantia estendida e até um atendimento diferenciado para produtos mais valiosos.  Isso é tiro e queda para fazer o cliente voltar mais vezes!

Promova programas de fidelização de clientes

Os programas de fidelização de clientes demonstram para o seu consumidor que ele é importante para a empresa. Crie estratégias que valorizem aqueles compradores que fecham negócio regularmente, premiando com grandes descontos, atendimento preferencial e a opção de formas de pagamento mais flexíveis. Estabeleça um mecanismo de contato como mailing direto para avisar aos clientes regulares sobre as suas promoções e ofertas antes que sejam divulgadas para o público em geral. Mostrar reconhecimento para essas pessoas faz com que elas vejam que seu empreendimento deseja manter um ótimo relacionamento com elas!

Use um sistema de cadastro de clientes

Para fidelizar o seu público, você precisa conhecê-lo bem, não é verdade? E, para isso, nada é melhor do que um sistema de cadastro de clientes. Através desse programa, você consegue inserir informações valiosas, que ficarão disponíveis de maneira organizada e acessível. Antes de tomar qualquer decisão, implementar ajustes ou definir estratégias, você poderá se valer dos subsídios que estarão disponíveis ali, ao mesmo tempo em que conseguirá monitorar o que aquelas pessoas estão comprando na sua loja. Isso ajuda a criar políticas mais precisas e mecanismos que possibilitem a aproximação com seu cliente e a melhoria de sua experiência de compra, gerando um grande diferencial para o empreendimento.

O Portal dos Aplicativos está pronto para lhe ajudar a criar um Aplicativo Móvel, excelente plataforma para fidelização de clientes, adequado para as necessidades específicas da sua Empresa. Fale Conosco.

Fonte: http://www.guiaempreendedor.com/como-melhorar-a-fidelizacao-de-clientes-no-comercio-de-varejo/

5 Dicas para fidelizar o seu cliente

Com a crescente competitividade em todos os ramos do mundo dos negócios, não basta apenas atrair novos clientes, é necessário fidelizá-los.

Investir em fidelização irá trazer muitos lucros para sua empresa, além de melhorar sua imagem comercial.

É importante ter em mente que estratégias de fidelização são um investimento que fará sua empresa se destacar no mercado, garantindo a continuidade de suas negociações.

Mais que clientes satisfeitos você deve visar clientes fiéis, que retornam, movimentam seu caixa, e te recomendam pelos excelentes produtos ou serviços prestados.

Mas como criar um bom programa de fidelização de clientes? Para responder essa pergunta, reunimos algumas dicas que irão lhe ajudar nesse importante momento para sua empresa.

1. Conheça bem o seu cliente

O primeiro passo para a fidelidade em longo prazo é estar atento às características pessoais do seu cliente. Alguns valorizam mais o desconto no preço à vista, outros as condições de parcelamento do pagamento.

Ter conhecimento das preferências individuais de seus clientes te possibilitará saber o que eles precisam e ofertar de uma maneira que não poderão recusar.

Uma boa maneira de saber isso é criar um cadastro de seus clientes, cuidando para que sejam registrados, além de dados pessoais como nome, endereço e documentos, todas as negociações realizados com o cliente, benefícios incorporados, formas de pagamento e entrega.

Lembre-se que é importante manter esses dados sempre atualizados. Com eles em mãos você poderá oferecer benefícios diferenciados e que superem as expectativas do seu cliente.

2. Tenha canais de comunicação eficazes

É extremamente importante que seu cliente tenha meios fáceis e acessíveis de entrar em contato com você. Mantenha em funcionamento todos os meios de comunicação possíveis, e faça seu cliente conhecê-los.

Se for um site, é bom que tenha botões visíveis de contato, telefones não devem proporcionar grandes períodos de espera e as redes sociais devem sempre ser acessadas e atualizadas, além do e-mail.

Permita que seu cliente possa registrar sugestões ou reclamações, agradeça pelo contato e sempre busque oferecer o melhor atendimento. São bons canais de comunicação que criam vínculos entre você e seu cliente.

Um diferencial reconhecido em empresas de sucesso é a qualidade da pós-negociação.

É muito comum ver clientes que ficaram imensamente satisfeitos na hora de uma compra, mas que quando precisaram retornar a empresa para troca ou assistência técnica ficaram decepcionados.

Portanto, tenha diferencial, valorize a relação com o cliente, o bom atendimento na pós-venda é uma porta de entrada para negociações futuras.

3. Crie programas de ofertas

Tenha programas de ofertas para os clientes que queiram recebê-las. Se um cliente procura um produto indisponível em estoque, avise quando chegar, o mesmo vale para novidades dentro do que ele costuma comprar.

Explore as redes sociais, é importante ter um conta no Twitter e no Facebook. Ofereça vantagens para seus seguidores.

Alguns clientes são formadores de opinião e geralmente têm redes bem constituídas e repletas de propensos novos clientes. Eles poderão se tornar importantes aliados.

Cuidado ao entrar em contato com os clientes pelo telefone, esse tipo de contato pode parecer um tanto invasivo.

É bom deixar esse meio apenas para clientes que compram com frequência, ou os que manifestarem desejo de serem informados sobre novidades. Mantenha no cadastro os melhores horários para seu cliente ser contatado.

Utilize o histórico de compras e faça contato quando tiver um produto ou serviço que se adequem ao perfil do cliente, baseando-se em suas aquisições anteriores.

4. Honre as suas promessas

Antes de buscar superar as expectativas dos clientes é extremamente importante que você cumpra o básico acordado por mais simples que seja.

Entregar no prazo, entrar em contato quando combinado, garantir adequações ou trocas quando necessário são exemplos de atos simples e que atribuem muito valor à negociação.

Você deve ter em mente que um requisito crucial para a fidelização é o trabalho que deve ser feito para facilitar a vida, resolver o problema ou simplesmente remover os obstáculos para o cliente. O que os clientes buscam é conveniência, facilite as coisas para eles.

5. Destaque-se: busque diferenciais

Atualmente os produtos, marcas e até os pontos de venda estão muito parecidos, as vantagens competitivas estão sendo criadas através dos serviços agregados e pela experiência na hora da compra.

Você deve buscar destaque no mercado oferecendo condições diferenciadas. É importante atribuir valor aos seus produtos e serviços, mostrar que você oferece mais que a concorrência.

Tenha programas de vantagens para quem compra sempre, seja sincero, crie um ambiente agradável para que o cliente se sinta à vontade na sua empresa. Prestar consultoria é um grande diferencial.

Hoje em dia os clientes não estão interessados apenas em comprar, eles querem receber orientações sobre os seus produtos, a maneira de usá-los e conservá-los melhor, e até mesmo sobre a sua origem, composição e processo de fabricação.

Você precisa descobrir e apresentar as melhores soluções para os problemas individuais de seus clientes.

O Portal dos Aplicativos está pronto para lhe ajudar a criar um Aplicativo Móvel para as necessidades específicas da sua Empresa. Fale Conosco.

Fonte: http://www.jornaldoempreendedor.com.br/destaques/publieditorial/5-dicas-para-fidelizar-o-seu-cliente/

 

O mundo caminha para ser mobile

Em 2001, a Apple levou mais de um ano para vender um milhão de iPods. Em 2011, um milhão de iPads foram vendidos em apenas um dia.

“Os usuários sabem que as plataformas móveis são peça-chave para comunicarem-se e conectarem-se com o mundo”, afirma Kyle Keogh, diretor do Google. Com o aumento de tais dispositivos, cresce também o número dos que utilizam o celular ou o tablet para buscar informações sobre produtos, parte fundamental no processo de compra, diz Keogh. “As pessoas procuram informações na internet capazes de fazê-las decidirem-se por um um produto ou outro. Você precisa estar lá”, aponta.

Estudo encomendado pela companhia à TNS, empresa de pesquisa de mercado, sobre o processo de compra de serviços de telecomunicação, mostra que a publicidade na TV é a grande responsável por gerar demanda e influenciar o consumidor.

Mas a internet já é utilizada por quase um terço dos usuários no processo de decisão de compra. De acordo com a pesquisa, 46% dos usuários impactados por campanha no offline buscam informações no online imediatamente sobre o produto ofertado.

“A TV tem papel muito forte de gerar demanda. Mas é preciso considerar que as ferramentas de busca captam audiência em torno de um produto e a transforma numa ação de resultado”, analisa Débora Bonazzi, gerente da vendas da companhia.

Segundo Keogh, o vídeo está transformando-se numa ferramenta poderosa, e  deve-se integrar televisão e internet, oferecendo publicidade tradicional na primeira e conteúdo na web. “Se há um vídeo do Justien Bieber no Youtube, tem que aproveitar a oportunidade e oferecer conteúdo publicitário”, indica.

O executivo cita o caso do iPhone 5, o lançamento mais esperado do ano, sobre o qual há tantos vídeos na internet que uma pessoa levaria mais de dois anos para assistir a todos. Ele aponta que mostrar características que tornam o produto único e dar ao consumidor a oportunidade de testá-lo, mesmo que virtualmente, é uma forma de gerar demanda, mesmo para um modelo que nem ao menos chegou ao mercado.

O Portal dos Aplicativos está pronto para lhe ajudar a criar um Aplicativo Móvel para as necessidades específicas da sua Empresa. Fale Conosco.

Fonte: Keila Guimarães, de PROPMARK

http://exame.abril.com.br/marketing/noticias/o-mundo-caminha-para-ser-mobile-diz-executivo-do-google

Consumidor já é mobile

As marcas não têm mais escolha e precisam aderir ao marketing móvel, pois o consumidor de hoje já é mobile, segundo afirmou Marcio Chaer, executivo para América Latina da Mobile Marketing Association (MMA).

“Não vejo uma demanda reprimida (por conteúdo móvel), pois os consumidores vêm dando mostras de que desejam isso. Talvez o que haja, isto sim, seja um conhecimento reprimido sobre esse mercado, por parte das empresas. Mas não há mais escolha para marcas, pois consumidor já é mobile. Esse é o trabalho da MMA: divulgar informações e educar marcas e consumidores sobre os benefícios que a plataforma pode trazer”, disse ele, que vê, no entanto, um gradual encaminhamento das grandes empresas neste sentido.

“A MMA treinará toda a equipe de marketing da Coca-Cola na América Latina, e já temos negociações para fazer o mesmo com outras grandes empresas. Também estaremos presentes nos grandes eventos de publicidade, como a semana publicitária de Cannes e a Ad Week, nos Estados Unidos”, afirmou.

Segundo Chaer, o grande desafio dos próximos anos para o futuro do ramo será encontrar um modelo de negócios próprio.

“Esse não é um desafio só do mobile marketing, mas da mídia digital como um todo. Hoje, o modelo de mídia digital que mais vende ainda é o offline. Precisamos definir um novo marco de modelo de negócios com as agências, que são o intermediário fundamental entre os provedores de serviços móveis e as grandes marcas”, disse.

Segundo ele, no primeiro momento não se poderá fugir do modelo de negócios tradicional do mundo da publicidade, mas com o tempo a tendência é que se desenvolva um modelo específico, adequado ao novo tipo de mídia com a qual se está trabalhando.

“Não se trata só de monetizar, mas de viabilizar a negociação entre todas as partes para achar um modelo de negócios que satisfaça a todos. A MMA põe todos em contato: marcas, agências e operadoras. Essa discussão já está ocorrendo, mas não é simples”, diz ele.

O Portal dos Aplicativos está pronto para lhe ajudar a criar um Aplicativo Móvel para as necessidades específicas da sua Empresa. Fale Conosco.

Fonte: Guilherme Sorgine, do Teletime http://convergecom.com.br/teletime/

http://exame.abril.com.br/marketing/noticias/empresas-nao-tem-escolha-consumidor-ja-e-mobile-diz-mma

5 maneiras de conquistar seus clientes pelo celular

Aprofundar o relacionamento com os consumidores. Fortalecer a marca. Comercializar mais produtos ou serviços. Ter um pós-venda mais efetivo. Essas são algumas das atividades que podem ser feitas por meio do celular, aproveitando a atenção que os clientes dão ao aparelho no seu dia a dia.

“É preciso entrar nessa nova onda da comunicação e dos negócios. Centenas de empresas e de empreendedores vivem somente de negócios na internet hoje”, afirma o especialista em vendas Marcelo Ortega. “O WhatsApp, por exemplo, é usado para trocar informações entre fornecedores e clientes, entre equipes externas e internas e também para manter o relacionamento com clientes ativos e potenciais.”

Usar o celular para trabalhar divulgação e vendas se tornou uma opção não só pelo tempo que os consumidores passam olhando para os aparelhos, mas também pelo aspecto financeiro. O custo de divulgação do negócio diminui muito, já que as ferramentas são bem mais acessíveis do que a publicidade usual, afirma Ariadne Mecate, consultora de marketing do Sebrae de São Paulo.

Publicidade

O empreendedor deve evitar fazer ligações e usar aplicativos apenas por impulso. “Isso tem que fazer parte de uma estratégia, ou seja, ter um objetivo”, explica Ariadne. As ferramentas também não mudam o fato de que a abordagem é fundamental. “O vendedor deve mostrar ao consumidor que o produto é também uma prestação de serviço, algo que irá ajudá-lo. Quem faz esse contato precisa identificar qual valor agregado leva ao seu cliente”, afirma Denis Santini, sócio da MD Comunicação e especialista em relacionamento com o consumidor.

Usar WhatsApp, Messenger, Viber e Skype, apenas para citar algumas possibilidades, é um movimento natural na ampliação de canais de atendimento aos clientes. Para passar do atendimento à conquista, porém, é preciso preparar-se. Veja, a seguir, cinco conselhos dos especialistas para arrasar ao se relacionar com seus consumidores pelo telefone celular:

1. Ligação é ultrapassada? Depende do seu cliente

Segundo os três especialistas, a ligação telefônica não é, necessariamente, um meio já ultrapassado. Isso porque o primeiro passo para conquistar seu cliente é saber por qual meio ele prefere ser contatado e colocar isso no cadastro de consumidores da sua loja. “Não existe um melhor meio, em termos absolutos. O grande desafio é entender o perfil do seu consumidor e como ele gosta de se relacionar”, explica Santini.

Isso permite que você possa saber em quais redes sociais você deveria estar presente e, assim, pensar na melhor forma de abordagem. “É legal segmentar sua base de clientes e, a partir daí, preparar uma estratégia de contato”, afirma Ariadne.

“Não cabe ligar para um consumidor que eu nem conheço, porque não sei se ele tem interesse no produto. É gastar dinheiro à toa, dos dois lados. Por outro lado, retomar o contato com um cliente importante pelo WhatsApp pode esfriar a relação”, completa Ortega.

O melhor contato, às vezes, pode ser uma mistura de várias ferramentas. Santini lembra que é possível usar mais de um meio de comunicação para atender um consumidor. “Por exemplo, você começa a venda por e-mail, depois passa ao SMS e, por fim, há uma ligação telefônica. Vemos uma soma de pontos de relacionamentos, não uma substituição.”

2. Saiba os limites para não ser inconveniente

O empreendedor que pretende incluir o celular na sua estratégia de venda deve tomar cuidado para não ir além do limite e se tornar inconveniente para o cliente. Ariadne recomenda pedir autorização ao cliente na hora de estabelecer um contato, além de perguntar o horário em que ele gostaria de ser atendido. “Caso contrário, uma ação que pretende prospectar consumidores pode ter o efeito inverso”, explica. “Você vira uma empresa chata e extrapola o limite da individualidade e da privacidade. Tenha bom senso e um bom planejamento.”

Na mesma linha, Santini recomenda começar a se relacionar com a base que você já conhece – ou seja, quem já passou pelo seu negócio. “Você não deve comprar um banco de dados de números de telefones e mandar mensagens, até por questões éticas. Pegue clientes da própria base e sugira esse novo canal de relacionamento. Também é possível trabalhar com indicações de novos contatos pelos próprios clientes, em troca de um benefício. Isso já existia no telefone e está migrando para os aplicativos de mensagens.”

3. Seja uma via de mão dupla: responda seus clientes

Do mesmo jeito que você faz ações pelo celular, o cliente também pode contatá-lo a qualquer hora. Não adianta só anunciar: é preciso responder, e rápido. “Se o cliente manda uma mensagem no sábado, não adianta dizer que só vai responder na segunda-feira. Tem que ter uma equipe preparada e olhar as mensagens pelo menos uma vez por dia”, aconselha Ariadne.

4. Aprofunde o relacionamento e crie promoções

Se você faz uso de redes sociais e grupos online, é preciso criar laços com essa base de consumidores. “Este vínculo é essencial para se diferenciar perante os milhares de contatos existentes nas redes, incluindo os seus concorrentes”, afirma Ortega.

Para isso, o especialista recomenda postar ideias e informações que sejam interessantes ao seu público-alvo e que também sejam o perfil do seu negócio. É preciso manter uma frequência nos conteúdos, porque publicar algo novo aumenta o número de seguidores da sua página ou de membros do seu grupo – mantendo o bom senso no número de publicações, claro. Por fim, dê a esses fãs e amigos ofertas especiais, como promoções ou acesso a novidades que só chegariam depois.

5. Deixe sempre claro que o cliente pode encerrar o contato

Por fim, o empreendimento precisa ser maduro o suficiente para aceitar quando o cliente não se interessa mais pelo negócio e, portanto, não gostaria mais de receber ligações ou mensagens. Caso contrário, sua marca pode ser associada com inconveniência e desespero.

Pior ainda: pode enfrentar sanções por esse comportamento. Quando um cliente recebe uma mensagem por WhatsApp, por exemplo, é possível indicar que o contato é um spam (mensagens enviadas para vários usuários sem nenhum critério aparente, sendo geralmente propagandas). Essa forma de contato não deve ser associada ao nome da sua empresa. “Não pratique spam. Enviar mensagens instantâneas pelo Facebook ou pelo WhatsApp para pessoas que não querem ou não pediram para receber nada é tão ruim quanto enviar e-mails sem que o outro tenha solicitado”, afirma Ortega.

O Portal dos Aplicativos está pronto para lhe ajudar a criar um Aplicativo Móvel para as necessidades específicas da sua Empresa. Fale Conosco.

Fonte: Mariana Fonseca, de EXAME.com
http://exame.abril.com.br/pme/noticias/5-maneiras-de-conquistar-seus-clientes-pelo-celular

 

Empresas ainda não aproveitam potencial do mobile

Ler o jornal, acompanhar o campeonato de futebol, checar e-mails, acessar a previsão meteorológica, consultar o GPS. No último ano, o Brasil teve 33,2 milhões de pessoas conectadas à internet acessando os mais diversos conteúdos por meio de dispositivos móveis. Antes inimagináveis, a mobilidade e o acesso à informação que smartphones e tablets ligados à web deram ao brasileiro não são mais planos para um futuro distante.

Cada vez mais dependente dos dispositivos móveis, o brasileiro quer que suas experiências digitais sejam integradas. “O Brasil possui 193 milhões de habitantes e 250 milhões de celulares, explica Beth Capdevila, pesquisadora do Yahoo! América Latina, em entrevista ao Mundo do Marketing.

A entrada de novos internautas a partir de celulares e tablets começa a mostrar quem é o consumidor brasileiro na rede. Por outro lado, falta por parte das empresas a compreensão e o foco necessários para se moldar aos novos padrões de comportamento.

De acordo com a pesquisa do Yahoo!, a publicidade móvel é mais aceita do que a propaganda online tradicional e ainda mais eficaz. Entre os usuários ouvidos, 51% não se importam com a publicidade desde que os permita acessar conteúdo gratuito, contra 38% que acham as formas de anunciar por meio de celulares e tablets intrusivas demais.

Um obstáculo é a falta de entendimento das companhias quanto à utilização do mobile. “O grande problema é que as empresas não pensam no móvel, elas adaptam a web para o móvel e isso não funciona. A tela dos celulares e tablets são menores e o engajamento é diferente. É preciso pensar para poder engajar. O mobile é uma mídia poderosa que a indústria não está sabendo utilizar e ainda tem perdido o usuário”, afirma Diego Higgins, Head da Yahoo! Brasil, em entrevista ao portal.

A falta de percepção das empresas quanto ao formato de anunciar na internet móvel pode ser agregada ao pouco entendimento sobre o conteúdo a ser veiculado. Segundo a pesquisa, são 50 tipos de atividades online que o usuário brasileiro mais usa, agregadas ainda em sete categorias.

A primeira delas seria a Connect, que inclui entre as atividades a checagem de e-mail ou envio de mensagens. O acesso a esse tipo de ação chega a 15% apenas com dispositivos móveis. A segunda categoria é a Search, com buscas específicas e 14% de penetração nos dispositivos móveis. A Entertain é a terceira categoria, com atividades ligada a música e jogos e uso de até 17% com smartphones e tablets.

Manage, para assuntos de viagens e trabalho, é usado por 17% dos usuários. A categoria Inform, em que são enquadradas leituras de artigos e jornais, tem penetração de 15% apenas por mobile. A sétima categoria é Shop, em que a comparação de preços entre produtos na internet é o principal serviço buscado, e tem 18% de penetração de aparelhos móveis. Por fim, Navigate, com atividades como GPS e uso de mapas, e penetração de 31% em mobile.

O uso do aparelho móvel é muito intuitivo e a internet móvel se tornou uma parte central da vida online de muitos brasileiros. O Marketing aqui é aceito e tem muito potencial para crescer. Porém, o conteúdo é a chave do mobile, ele que é o rei”, diz Beth.

O Portal dos Aplicativos está pronto para lhe ajudar a criar um Aplicativo Móvel para as necessidades específicas da sua Empresa. Fale Conosco.

Fonte: http://exame.abril.com.br/marketing/noticias/empresas-ainda-nao-aproveitam-potencial-do-mobile
Isa Sousa, do MUNDO MARKETING

Dicas para entrar em mobile marketing com o pé direito

Mobile marketing: começar é “para ontem”, acredita Paul Gelb.

O Brasil já tem 253 milhões de celulares, o que representa uma média de 1,29 linhas por habitante, de acordo com dados da Anatel.

Além de mostrar que a classe C entrou em peso nas funcionalidades da plataforma mobile, esses números também demonstram um potencial de marketing em franca expansão.

Paul Gelb, vice-presidente e fundador da área de mobile da Razorfish, acredita que em até 10 anos, o marketing em smartphones e tablets será responsável pela maior fatia do bolo publicitário, ultrapassando até mesmo TV e internet.

Abaixo, veja dicas de Gelb para quem quer começar as atividades na plataforma.

Esteja bem acompanhado

Tenha certeza de que você tem um time capacitado e os talentos certos para trabalhar em projetos mobile internamente e em parceria com a agência.

“Mobile é uma coisa nova. O time que trabalhará nessa plataforma deve ter personalidade, expertises e conhecimento em diferentes áreas”, diz Paul Gelb.

Observe a estrutura de sua empresa

Olhe para todos os lados de sua organização e tenha certeza de que você tem uma estrutura que comporta as novas atividades ou/e os recursos suficientes para modificar, adaptar e ampliar o que for preciso. Leve em conta todas as potenciais oportunidades.

“Mobile toca em muitas áreas diferentes do negócio. Se você é um varejista, pense em qual vai ser o objetivo do mobile dentro das lojas, no marketing e na administração do relacionamento com os consumidores, por exemplo”.

Tenha foco nas pessoas, não na tecnologia

“É importante perceber que algumas coisas mudam e outras não. Algo que jamais deveria mudar é a maneira como você resolve um problema, e que deveria sempre começar com insights dos consumidores”, diz Paul Gelb.

“O que, de fato, os consumidores precisam? Que benefício você estará levando a eles? Qual é o objetivo de seu negócio e o que você está realmente tentando comunicar?”

Encontre um caminho pelo qual o mobile seja voltado unicamente a essas questões. A atividade da marca em mobile não deve começar por causa da tecnologia, mas com o uso da tecnologia, por causa das pessoas.

Não espere a genialidade para começar

Você não precisa saber tudo e ter as soluções perfeitas para só então entrar em mobile. Tenha noção do espaço digital e pressa para começar. Pegue carona no que já está acontecendo.

“É um espaço que muda muito rapidamente. Você não terá tempo suficiente como teria em outros canais e circunstâncias”, aconselha Gelb.

O Portal dos Aplicativos está pronto para lhe ajudar a criar um Aplicativo Móvel para as necessidades específicas da sua Empresa. Fale Conosco.

Fonte: Cris Simon
http://exame.abril.com.br/marketing/noticias/5-dicas-para-entrar-em-mobile-com-o-pe-direito